Teutônia | 11° Encontro dos Pais Associados: Palestras abordam momento da Languiru e perspectivas da cadeia leiteira
11/09/2017

No dia 30 de agosto, com o intuito de valorizar os homens que contribuem para o êxito da Cooperativa Languiru, ocorreu o 11° Encontro dos Pais Associados.

 

               O evento reuniu aproximadamente 200 produtores, entre associados, filhos, genros e pais de associados residentes na propriedade rural. O encontro contou com programação diversificada, realizada na Associação dos Funcionários da Languiru. A dupla Mallmann & Dick animou o público com músicas tradicionalistas e clássicos do sertanejo nacional; o serviço de medição da pressão arterial foi disponibilizado pela Famit; o presidente Dirceu Bayer e o vice-presidente Renato Kreimeier falaram sobre o atual momento da Languiru; e o vice-presidente da Associação Gaúcha de Laticinistas e Laticínios (AGL), professor da Escola Superior de Cooperativismo (Escoop), Ernesto Enio Budke Krug, abordou o tema “Situação e perspectivas do mercado leiteiro”. O evento culminou com o tradicional almoço de confraternização e cada associado ainda foi presenteado com boné e copo da Languiru.

 

Momento e tendências para o setor de leite

 

               Krug traçou perspectivas para a cadeia leiteira, tanto no mercado nacional como internacional. Orientado por estatísticas, apontou que, até 2030, 61% da população mundial estará concentrada no meio urbano e 39% no meio rural. Diante dessa situação, enalteceu os aspectos que favorecem a produção brasileira no cenário mundial, como a grande oferta de terras férteis e detenção de 13% da água potável do mundo. “Ainda temos capacidade industrial sobrando e a possibilidade de produzir leite a pasto. No entanto, os preços das commodities vão continuar baixos e precisamos nos atentar às mudanças climáticas”, acrescentou. Krug salientou que a produção de leite é a sexta atividade socioeconômica mais importante do país, gerando renda mensal e oferecendo maior estabilidade ao produtor rural. Observou que os grandes problemas ainda continuam sendo a qualidade da matéria-prima e a baixa escala. “Quase 70% da captação ainda se concentra em propriedades que produzem até 50 litros de leite por dia. Se não fosse o papel social das cooperativas, a grande maioria dos produtores já não estaria mais entregando leite às indústrias”, comentou.

               Krug também analisou a situação do mercado e lembrou particularidades de diferentes países. Nos Estados Unidos, destacou a retomada do consumo em quantidades expressivas de produtos lácteos; a Rússia continua sendo o segundo maior consumidor de leite do mundo; e a China está financiando produtores e inovações tecnológicas, tanto que já é o terceiro maior produtor de leite do mundo, com uma produção de cinco mil quilos vaca/ano. “Os chineses consomem apenas 28 litros de leite por habitante ao ano, no entanto, o país possui potencial para incrementar esse volume de consumo. Eles importam 49% do leite em pó transacionado do mundo”, apontou. Já na Nova Zelândia, os produtores estão enfrentando a falta de terras cultiváveis, problemas climáticos e restrições do produto junto à população. “Ainda assim continua sendo o leite mais barato do mundo, exportando 96% do leite produzido”, complementou.

               O processo de importação foi outro assunto debatido por Krug. Recordou que a compra de leite de fora do país iniciou em 2008, com demanda crescente dos volumes importados pelo Brasil. Revelou que, somente em 2017, já ingressaram 18 mil toneladas de leite em pó no Rio Grande do Sul. “Já tivemos fases ruins em 2015 e 2016, porém, aguardo uma reviravolta da cadeia leiteira a partir de outubro. No início de 2018, teremos ‘corrida’ pela matéria-prima”, projetou.

               Ele apontou como responsáveis pela queda do preço pago ao produtor rural a baixa da venda de refrigerados (leite e derivados), a diminuição do poder de consumo da população e o grande volume de leite em pó importado do Uruguai. Apesar do quadro instável, manteve o otimismo e lembrou que o leite se caracteriza por reagir de forma rápida. “As oscilações acontecem de tempos em tempos. Esta não é a última e nem a primeira crise do setor”, ponderou.

               Para finalizar, o palestrante indicou tendências para a cadeia leiteira, considerando produção e consumo. Krug observou que o número de produtores nos países desenvolvidos está diminuindo, entretanto, a média de produção dos animais está aumentando. “O pagamento por qualidade é irreversível”, afirmou. Ele observou que o Brasil possui um universo de mais de 200 milhões de consumidores, no entanto, ressaltou que o mercado para produtos lácteos na China é seis vezes maior. Complementou que os estoques mundiais continuam elevados, porém, estão decrescendo lentamente. “A Languiru está no caminho certo. Nós temos um grande futuro e a união é fundamental nesse momento. A mudança no produtor e no empresário deve ser uma constante. Aquele que não muda, vai para o fim da fila”, sintetizou.

 

Evolução

 

               Os procedimentos adotados para superar a recente crise da economia brasileira e manter a estabilidade da Cooperativa Languiru foram a tônica da apresentação do presidente Dirceu Bayer, que apresentou diversos números e salientou o trabalho realizado pelo Conselho de Administração. “Em função das medidas que adotamos em 2015, os resultados começaram a aparecer em 2016 e no primeiro semestre de 2017”, exemplificou.

               A modernização do parque industrial, a redução do custo de produção e a eficiência dos associados foram citados como diferenciais da cooperativa para encarar o segundo semestre. Bayer mostrou fotos antigas e atuais para ilustrar a evolução das granjas e das unidades industriais, administrativas e comerciais da Languiru. Também projetou a gradativa recuperação da economia brasileira e as inaugurações oficiais do Supermercado Languiru de Arroio do Meio, da nova estrutura do Agrocenter Languiru do Bairro Canabarro e de mais um Supermercado Languiru, em construção no Bairro Canabarro. “Temos tudo pronto e não precisamos mais fazer grandes investimentos, a não ser o que for extremamente necessário”, disse. O presidente admitiu que a cooperativa planeja chegar, em breve, ao abate de dois mil suínos por dia e dobrar a capacidade produtiva do Frigorífico de Aves até 2019. “Ainda temos uma área reservada para, futuramente, instalarmos uma queijaria junto à Indústria de Laticínios”, acrescentou.

               Bayer também falou da nova modalidade de associação que a cooperativa oferece aos produtores rurais, em especial os produtores de milho, com os benefícios concedidos aos associados que passam a contar com o Cartão Verde. Nesta mesma linha, enalteceu as alternativas ofertadas pelo Programa de Inclusão Social e Produtiva no Campo. “Cooperativa e associados estão crescendo juntos e, hoje, em torno de 40 mil pessoas já dependem diretamente ou indiretamente da Languiru”, enfatizou.

 

Mercado asiático

 

               O fortalecimento das relações com o quadro social, a redução de custos e as estratégias que priorizam o resultado no final do exercício foram os temas abordados pelo vice-presidente Renato Kreimeier, que citou a gestão e o trabalho em equipe como fatores preponderantes para se alcançar o sucesso. “Em 2002, demos a volta por cima graças ao trabalho de cada um dos produtores rurais que fornecem matéria-prima à cooperativa”, lembrou.

               Kreimeier elencou aspectos que contribuíram para “estremecer” a cadeia leiteira, assim como fez relato de recente viagem à China, citando peculiaridades da cultura e evidenciando o potencial consumidor do país. “A Languiru tem um futuro promissor e o mercado asiático apresenta boas perspectivas”, sinalizou.

 

 

 

TEXTO – Leandro Augusto Hamester

CRÉDITO DA FOTO – Leandro Augusto Hamester

voltar

Resultado da loteria

Extração nº 5225
Realizada em 21/10/2017
1º - 00703
2º - 81785
3º - 63550
4º - 57945
5º - 61010

Recados

14/10/2017 10:22:28
MARCO HENRIQUE SCHRÖER
TOCA UMA MUSICA DAS MINHAS DO NHEGO SHOW PARA TODOS LIGADOS NA RADIO. SE POSSIVEL PODE SER O VELHO CASARÃO DO CD VOL 1.

07/10/2017 08:19:00
lacir freisleben
toca uma musica dos colonos

01/10/2017 10:03:23
ivonir costa da silva
pq só tem medico de plantão

30/09/2017 15:26:32
Licéria Pereto - Dois Irmãos
Sempre na escuta pela Internet. Pode escolher uma música pra mim. Abração.


2012 Rádio Tirol FM 87.5 Fone: (51) 3762-3035. Todos os direitos reservados.