A direção do Grêmio atuou com força nos bastidores para cuidar de todos os detalhes extracampo durante a decisão da Libertadores. A revolta com as questões da arbitragem no primeiro jogo contra o Lanús na Arena foi muito grande. Naquele momento se decidiu que era preciso fazer alguma coisa para neutralizar a forte influência política da equipe argentina na Conmebol.

              Por isso o presidente Romildo Bolzan, acompanhado do executivo André Zanotta pegou o avião e se reuniu no Paraguai com o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez. 

              Mas não foi só isso. O Grêmio preparou um dossiê com os erros de arbitragem e enviou para todos os patrocinadores da Copa Libertadores da América, alegando que os equívocos estavam afetando a credibilidade da competição.

              O objetivo do clube foi agir, não tendo uma postura passiva, apenas observando as questões em que se sentiu prejudicado. O problema é que a Conmebol não gostou nada do que aconteceu, e decidiu abrir um processo administrativo contra o Grêmio por causa deste assunto. Portanto, a reunião desta quarta para o sorteio dos grupos da Libertadores de 2018 promete ser agitada.

 

 

Fonte: Zero Hora.