Mantido sob sigilo pela família, o tratamento médico de Michael Schumacher já teria superado a marca de 28 milhões de euros (cerca de R$ 110 milhões). 

              A estimativa foi feita pelo jornal espanhol As, com base nos gastos com a estrutura para que o ex-piloto alemão receba em casa todos os cuidados necessários de saúde. Por semana, o atendimento ao heptacampeão da Fórmula-1 custa 140 mil euros (quase R$ 550 mil). 

              Conforme a Revista Forbes, o ex-piloto ganhou 840 milhões de euros ao longo de sua carreira, o equivalente a mais de R$ 3,3 bilhões, entre salários, patrocínios e premiações.

              Em 29 de dezembro de dezembro de 2013, Schumacher sofreu um acidente de esqui em uma montanha em Méribel, nos Alpes franceses, e teve traumatismo craniano. Após o ocorrido, ficou em coma induzido até meados de 2014. 

              Desde então, o estado de saúde do ex-piloto é um mistério para a imprensa e para seus fãs. Uma das poucas coisas que se sabe sobre o processo de recuperação é que é realizado em sua residência em Gland, na Suíça, e que o tratamento é feito por uma equipe médica especial.

 

 

Fonte: Zero Hora.