Simers critica Samu por transportar pacientes para hospitais de baixa complexidade
23/02/2012

Conforme o Simers, a situação é constrangedora para o médico, que não tem condições de prestar o atendimento necessário...

 

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) faz um alerta para a falta de atendimento adequado para pacientes que necessitam de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ou tratamento especializado e complexo.

A direção da entidade, que aborda o assunto em sua página na internet, critica o procedimento adotado pelas equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de transportar doentes para pequenos hospitais onde ficam até vários dias à espera de transferência para um estabelecimento melhor equipado.

Conforme o Simers, a situação é constrangedora para o médico, que não tem condições de prestar o atendimento necessário, e perigosa para o paciente, que depende da liberação de vaga em outro hospital para ser transferido.

— Temos vários casos, espalhados pelo Estado, de pacientes transportados pelo Samu e deixados em pequenos hospitais à espera de uma vaga em local especializado. No início da semana, por exemplo, nós flagramos uma mulher de 49 anos com trauma no fêmur no Instituto de Cardiologia Hospital Viamão, que não tem condição de resolver o problema dela. Apenas de tratá-la de maneira paliativa até surgir a vaga especializada — critica o diretor do Simers Edson Prado Machado.

Reunião com governo do Estado discutirá situação

Embora não corra risco de vida, quarta-feira completou-se uma semana que a paciente está à espera do tratamento necessário. Ela é uma entre dezenas levadas pelo serviço de emergência para hospitais que não têm condições técnicas para resolver o problema.

Machado sustenta que o atual sistema do Samu transformou esses pequenos hospitais e alguns postos de saúde em entrepostos para pacientes à espera de solução para seus males. Lembra ainda que esses estabelecimentos enfrentam carência de pessoal e material.

O médico argumenta, por isso, que o caos aumenta toda vez que uma equipe do Samu deixa um paciente necessitando de tratamento sofisticado em locais sem perfil para o atendimento.

— Há casos de estabelecimentos que têm um único médico, que precisa deixar o que está fazendo para atender o paciente trazido pelo Samu sem avisar — reclama o diretor.

Machado revela que o sindicato negocia um encontro com o governo do Estado para tratar do assunto. A entidade defende o aumento do número de vagas em hospitais de alta complexidade para evitar essa situação.

— Infelizmente, esta situação existe. Os pacientes são deixados pelo Samu em hospitais menores esperando leitos especializados — observa o diretor do Simers.

 

Fonte: Jornal Zero Hora.

voltar

Resultado da loteria

Extração nº 5276
Realizada em 18/04/2018
1º - 54227
2º - 02347
3º - 02735
4º - 70748
5º - 67528

Recados

01/04/2018 10:17:59
edy freisleben
me coloca na promoção imigrante 37540320

01/04/2018 10:15:20
Liane Amendt de westfalia
Quero participar do sorteio 37625441

01/04/2018 10:14:38
Taisson Clemente Horst de westfalia
Quero participar do sorteio 997594747

01/04/2018 10:13:02
Jéssica Tietz de westfalia
Quero participar do sorteio 997594747


2012 Rádio Tirol FM 87.5 Fone: (51) 3762-3035. Todos os direitos reservados.